terça-feira, 20 de março de 2012

Dislexia

A palavra Dislexia vem do grego, “Dis” significa dificuldade e “lexis”, linguagem. As crianças com dislexias geralmente são identificadas nas salas de aulas por terem dificuldades na leitura, escrita e soletração. 

Algumas crianças disléxicas podem fazer confusões entre letras ou palavras que tenham diferenças sutis de grafia, como por exemplo o "h-n" ou "b-d"/"d-p"/"d-p".  

Os disléxicos geralmente são muito inteligentes e falam muito bem, por isso, muitas vezes são erroneamente rotulados de preguiçosos, descuidados ou imaturos. 

E muito importante ficar atento!!! 
A criança disléxica pode desenvolver comportamentos antissociais e agressivos, devido as frustrações causadas pelas suas dificuldades. 

Um diagnóstico preciso é importantíssimo! Recomenda-se que o diagnóstico seja feito por uma equipe multidisciplinar especializada (psicólogo, fonoaudiólogo, psicopedagogo e neurologista) não somente para se obter o diagnóstico, mas principalmente para garantir melhores práticas em termos de planejamento do tratamento e cuidado para a criança, levando em consideração todos os aspectos relevantes e fatores que exercem impacto sobre o atendimento e a qualidade de vida.

Se seu filho(a) tem uma "aprendizagem diferente" ou uma "dificuldade para aprender", lembre-se que com a informação correta e com ajuda especializada o potencial do seu filho pode ser desenvolvido!!!


Rosani Ap. Antunes Teixeira
Neurônios no Divã: Psicologia e Neurociências

quinta-feira, 8 de março de 2012

Bom Humor

Você sabia que com pequenas mudanças na forma como você lida com as situações do seu dia a dia pode acarretar em inúmeros benefícios para sua vida?! 

Se você é uma pessoa de bem com a vida, que encara as situações com bom humor e otimismo: Parabéns!!! 

Mas, se você é do tipo que se queixa que não vai bem nos negócios - que não têm dinheiro - que não têm sorte - que desde ao amanhecer até a hora de deitar reclama que está tudo muito difícil. Melhor mudar sua atitude! 

Pesquisas mostram que se você enfrentar a vida com bom humor e riso, estará fortalecendo o seu sistema imunológico, aumentando sua energia, diminuindo a dor, e ainda se protegendo dos efeitos nocivos do estresse. 

Além disso, uma nova pesquisa da University of Manchester and London School of Economics and Political Science (LSE), também demostrou que pequenas mudanças positivas na personalidade podem levar a um aumento significativo de felicidade. 

Então, não perca tempo! Comece a mudança agora mesmo! 

  • Se você trabalha com computador, procure coloca um protetor de tela engraçado, que faça você sorrir e se sentir mais animado. 
  • Coloque na sua mesa de trabalho uma foto sua com sua família ou amigos se divertindo. 
  • Procure viver o momento, pois não adianta nada pensar, viver ou sofrer pelo que já passou ou passar o tempo todo planejando o futuro que ainda está por vir. 
  • Evite situações que representem risco ao seu bom humor. 
  • Faça coisas simples e que proporcionem prazer. 
  • Aprenda a não valorizar o que não tem valor - evite gastar energia e tempo com pequenos aborrecimentos do dia-a dia. 
  • Cumprimente as pessoas com um sorriso. 
  • Ria de si mesma – principalmente quando coisas inesperadas acontecerem! 
  • Seja realista e sempre mantenha a real perspectiva da sua vida. 
  • Procure fazer o que gosta, ao lado de pessoas especiais e que te farão bem sempre. 


Fonte:
Christopher J. Boyce, Alex M. Wood, Nattavudh Powdthavee. Is Personality Fixed? Personality Changes as Much as “Variable” Economic Factors and More Strongly Predicts Changes to Life Satisfaction. Social Indicators Research, 2012; DOI: 10.1007/s11205-012-0006-z


Rosani Ap. Antunes Teixeira
Neurônios no Divã: Psicologia e Neurociências

quinta-feira, 1 de março de 2012

TRAÍDOS PELO TOM DE VOZ

Em um estudo publicado na revista Evolutionary Psychology, os pesquisadores examinaram a ligação entre o tom de voz, a infidelidade e a escolha do parceiro. 

Os participantes desse estudo ouviram duas versões de clipes gravados a partir de uma vozes masculinas e vozes femininas, que foram manipuladas eletronicamente para ter maior e menor intensidade. Os participante deveriam escolher qual a voz mais atraente, com a maior probabilidade de traí-los para viver um romance. 

Os pesquisadores descobriram que homens e mulheres usam o tom da voz como um sinal de futuras traições, ou seja, uma mulher com tom de voz mais intenso e um homem com tom de voz mais fraco são interpretados como “possibilidade de infidelidade futura”. 

Segundo os pesquisadores isso acontece porque os homens com níveis mais elevados de testosterona têm vozes agudas mais baixas, e mulheres com níveis mais altos de estrogênio têm vozes mais agudas e altos níveis desses hormônios estão geralmente associados ao comportamento adúltero. 

Isso sugere que através do processo evolutivo, nós aprendemos maneiras de evitar os parceiros que podem ser infiel, já que a infidelidade causa um impacto emocional importante, altos custos financeiros e perda da unidade familiar. 


Fonte: 
Jillian J.M. O'Connor, Daniel E. R. and David R. Feinberg.Voice Pitch Influences Perceptions of Sexual Infidelity. Evolutionary Psychology, 2011. 9(1): 64-78


Rosani Ap. Antunes Teixeira
Neurônios no Divã: Psicologia e Neurociências